terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Desassossego...





Desce a madrugada e o sono não chega, dás voltas na cama, tentando fixar na tua memória o momento em que conheceste o brilho do meu olhar. 

Ainda lembras o dia em que surgi num sonho teu, onde me inventaste nas tuas cores, me moldaste nas mais belas formas e onde me deste um nome escolhido entre os teus vazios. 
Revês-te contemplando o meu rosto em fugazes instantes de eternidade, lembras o meu sorriso, que te fez tão feliz, e recordas que em troca, me deste vida com a tua magia, que absorvi e ainda trago espalhada por toda a pele. 
Hoje, a realidade separa-nos, e tu, confundes a verdade com a ilusão, esqueceste o meu nome, e já não sabes se fui um mágico encantado do teu reino de fantasia, ou anjo rebelde perdido nas núvens do teu céu. 
Nas tuas memórias, sentes o perfume das palavras que soprei nas penas das minhas asas, naquela linda noite de Lua cheia, testemunha calada de um sonho lindo, que não existiu em parte nenhuma, apenas dentro de ti, na tua boca que silencia, e ainda saboreia a doçura do beijo que te dei.


Enviar um comentário