sexta-feira, 28 de novembro de 2014

JESUS, A ALEGRIA E A PAZ





É sabido que a humanidade vive dias de turbulência e agonia. A violência 
desenfreada impera, e os acontecimentos previstos no Apocalipse de João
se desencadeiam em escala cada vez mais intensa e assustadora. Nunca
Jesus, seus ensinamentos e sua paz foram tão necessários para perseverar
apesar da dor, persistir no bem apesar da angústia, dar testemunhos apesar
das tribulações. Nunca o ser humano precisou tanto compreender aquilo que
o Cristo sentiu pela humanidade. Devemos nos inspirar no retrato da dimensão
espiritual de Jesus, em sua descida imaculada e sua presença em um frágil
corpo de carne em qual permaneceu durante trinta e três anos, submetendo-se
às leis da matéria, em constante sacrifício, tudo para cumprir integralmente 
sua missão. É nossa tentativa e faremos os melhores esforços para que escreva
com imparcialidade sobre os instantes mais singelos dos ensinamentos, 
ministrados em cada gesto e em cada passo nos caminhos da antiga Galileia.
Isso nos confortará o coração e nos encherá de alegria, pois Jesus foi a alegria
que nos visitou, a paz pela qual tanto imploramos e a luz que brilhou nas trevas
da ignorância humana. Esse é o objetivo: recordar o Mestre, aqueles momentos
sublimes, pois, ainda, muitos não O compreenderam e relutam em seguir Suas
pegadas. O que queremos dizer é que existem muitos que até O conhecem,
ouviram referências, entoam hinos e frequentam igrejas, mas, na hora de
exemplificar, estão distantes do coração de Cristo.
- Por esta razão, Virgílio, a palavra deve ser abrangente, mas revestida de amor
e verdade. Deve conter elevado teor espiritual sem perder o caráter que permita
alcançar as criaturas de um modo geral, sem esquecer os pequeninos e humildes,
muito amados por Jesus !

(Obra: Jesus o Divino Amigo - Médium Antonio Demarchi/Espírito Irmão Virgílio)
Fonte:http://marcosianoski.blogspot.com.br/


Enviar um comentário