segunda-feira, 29 de abril de 2013

Pensões de Reforma...

 
 



*«....PM português: “ A primeira prioridade é tratar os*
*pensionistas da PIOR maneira possível”...»*


*O 1º Ministro de Espanha em declarações à TVE, sobre a apresentação do
OE-2013, referindo-se aos reformados, disse:

... "A primeira prioridade é tratar os pensionistas da melhor maneira
possível.

A minha primeira instrução ao ministro das Finanças é de que as
pessoas que não se devem prejudicar são os pensionistas.

"No Orçamento de Estado deste ano só há dois sectores que sobem: os
juros da dívida e as pensões. Não tenho nenhum interesse e se há algo
que não tocarei são as pensões"

"Rajoy sublinhou que o pensionista é a pessoa mais indefesa , que tem
a situação mais difícil, porque não pode ir procurar outro posto de
trabalho aos 75 ou 80 anos, tendo uma situação muito mais difícil"...

Fim de citação.

Em Portugal, os pensionistas celebraram um contrato com o Estado, em
que se comprometeram a descontar 14 meses por ano durante a sua vida
activa, tendo em vista a obtenção, na altura devida, de uma pensão
calculada com base no número de anos de descontos, a ser paga em 14
meses. E cumpriram integralmente a sua parte do contrato!.

Já em 2012, a outra parte contratante, o Estado Português, que
necessariamente deveria ser pessoa de bem, decidiu alterar
unilateralmente as premissas desse contrato e, numa primeira fase,
passou a remunerar as pensões somente durante 12 meses, e prepara-se
para no ano de 2013 acrescentar ainda a essa supressão ilegítima um
corte adicional de 3 a 10%.

É uma decisão administrativa ilegal e sujeita a processo judicial, e
para além disso, merecedora de um protesto forte daqueles que o Estado
pensa serem fracos! Não podem os pensionistas e reformados abdicar dos seus
direitos e, assim, não se poderão calar!*

*Esta é mais uma boa razão para entendermos a razão porque pela qual um
governo espanhol liderado pelo Partido Popular se recusou a aplicar medidas
de austeridade contra os reformados e penionistas, ao contrário do governo
de Portugal, liderado pelo Partido Popular Democrático, como foi
constituído, para mas mais tarde querer assumir-se, sem o ser, Partido dito
Social Democrata. É, por isso, um embuste e os verdadeiros sociais
democratas, como acontece em qualquer país da UE, fazem parte da família
socialista, em que se reveêm.*

*Meditem sobre este partido, constituído depois da revolução de 25 de Abril
de 1974 por pessoas que pertenceram à chamada "ala liberal" do regime
fascista de Salazar/Marcelo, quando o mesmo se encontrava na fase de
agonia, sem cultura democrática, que em vez de combaterem o regime,
colaboraram com ele e eram pela manutenção das colónias e das guerras
coloniais. Sim, porque a solução dos problemas das guerras de África, eram
de ordem política e não militar, ao contário do que o regime, e eles mesmo,
imaginavam. *

*Estes são os netos de Salazar e o Partido Social Democrata, em que dizem
reverse, é um embuste, não é reconhecido nas InstituiçõesInternacionais,
como se comprova no Paralento Europeu, em que os ditos Sociais Democratas
portugueses, para uso doméstico, se sentam na bancada do Partido Popular
Europeu juntamente com o CDS/PP. São por isso, considerados na União
Europeia por Liberais.*

*Actualmente, o PSD de Passos Coelho, não tem nada de social e muito pouco
de democrata, não passando de um partido popular, ultra liberal/conservador.


Manuel Poupino
Enviar um comentário