quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

É na Solidão...




É na Solidão
 


 


É na solidão

que tudo se encontra.

É nela que sós nos encontramos e
 

perdemos em tudo.


É sempre num lugar, algures, seja qual for,
 
que estamos sós.

É uma espécie de lugar, de "jardim" secreto, que construímos para nele
estarmos sós e para amarmos.


Mesmo que não saibamos mais nada, é bom que se ame e espere um amor.


Um amor sem rosto, sem contornos, sem nada.

 
Não importa, o que é necessário é que se esteja lá, nesse lugar recôndito,
de nós, só à espera do amor.

Um amor sem ninguém, sem lugar, sem tempo,

mas disso e só disso – do amor.
 
É essa a solidão necessária para o encontro das emoções, dos sentires.


A solidão do amor é uma solidão sem a qual ele não se produz, não emerge.

É sempre necessária a solidão para se amar, uma solidão real do corpo e da alma.


E a solidão não se encontra, fazemo-la.


A solidão faz-se só.

Eu fi-la, porque decidi que era nela que queria aprender a amar de novo.


Agora amo-a no silêncio, na distância que faz doer, 

mas amo-a.

Não se pode viver sem se saber estar só, embora a solidão também queira dizer: morte.


Na Solidão com amor, amizade, carinho e ternura,


José
 



Enviar um comentário