quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Não tenho tempo...





Nao, nao tenho tempo
foi todo aquele tempo que perdi
um dia olhando o Ceu e te vi...
Agora nao tenho tempo
tempo de alegria
de tristeza fantasia
tudo... tudo isso eu perdi.
E hoje ao olhar o tempo
penso que mesmo tendo tempo
eu nunca teria tempo
de voltar a todo o tempo que perdi!



Um dia pensei
que tudo sabia, engano...
Ninguem sabe
nem tu nem eu, a vida
ao passar por nos
sem do nem piedade
faz que esqueçamos
nem mesmo a saudade
nem essa... Ninguem sabe!




Eu pensava que tudo sabia, afinal o livro da vida tem folhas indeterminaveis que nunca chegarei a ler.
Hoje pensei nas varias casas que tive, até agora cinco, os cinco dedos da nossa mao.
Nenhuma delas era minha afinal, comprada,
arrendada que importancia fazia afinal,
quando o fogo infernal a destruia...
 
Era a primeira dos meus sonhos de menina, as outras se seguiram consoante os passos que eu ia dando...
 
Depois tudo foi levando, e um dia acordei num pais distante, como o Judeu Errante que nao tenha onde parar e sentar...
 
E hoje ao olhar os ponteiros do relogio eu nao consigo conciliar as horas e os minutos, as noites longas, a mala sem quase nada, apenas algumas recordaçoes...
 
Amanha nao sei onde poderei estar...
 
Tenho muitas saudades do meu minusculo cantinho onde dormi os melhores sonos da minha vida, por vezes olho um pobre que dorme debaixo da ponte...
 
Velhos jornais lhe servem de agasalho, um chapeu de chuva o teto, nada lhe podem tirar, os sonhos ele guarda na manta velha em que se agasalha, e eu?
 
Que tenho afinal?!
 
Por Maria Santos para grupo Águia Sonhadora
 
Abraços e beijinhos,
José
 
 
 


Enviar um comentário